Mensagem do Director para os Docentes deste Agrupamento:

 

"O valor de um ser humano não reside nos aplausos que recebe, mas nas raízes enterradas nos solos da sua personalidade e que ninguém consegue ver…"

In memórias de Um Homem, 2005

 

"Perguntaram-me qual a felicidade suprema aqui em baixo?

Ouvir a canção de uma menina que se afasta…

Depois de nos ter perguntado o caminho.

 

Assalta-me uma dúvida: Teria sabido indicar-lho?

Eis a minha resposta…"

Caros professores

Há milénios que construímos escolas e acreditamos que a educação e o ensino são possíveis de concretizar, é por isso que hoje aqui nos reunimos. Não apenas para nos apresentarmos, não apenas para vos dar a conhecer o programa de acção para os próximos dias, um pouco do que se faz aqui neste agrupamento de escolas, mas para vos falar de educação, de escola, de liderança, de trabalho em equipa, de alunos, de pais, mas também de professores, sim para falarmos de nós, dos nossos medos, dos nossos desejos, dos nossos projectos e das nossas vidas.

A nossa arte é a de provocar a arte de pensar e ajudar os outros a conhecer o mundo das ideias e dos sonhos. Somos os vendedores de sonhos para que todos aprendam e desenvolvam uma consciência crítica, decidam o caminho que devem percorrer … para que sejam construtores de tolerância.

Caros professores, cada um de vós tem uma fascinante história de vida que contém lágrimas e alegrias, sonhos e frustrações. Contém essa história em pequenas doses aos vossos alunos durante o ano escolar, associada aos diversos conteúdos programáticos. Não se escondam atrás do giz ou da matéria, caso contrário os temas transversais – responsáveis por educar para a vida, como a educação para a paz, para o consumo, para a sexualidade, para o respeito, para a solidariedade, para a saúde, para o trânsito, sim, para o trânsito, pois julgo que este último, mata mais que a gripe A, com a qual tanto nos preocupamos – serão apenas uma utopia.

Caros professores …. Nunca desistam de um aluno. Se investirmos nos jovens que hoje nos decepcionam, eles poderão no futuro surpreender-nos e dar-nos alegrias, por isso, considero que para além da matemática numérica, os alunos devem aprender a matemática da emoção, que não dá resto zero e que rompe com todas as regras da lógica. Julgo que o aluno só aprende verdadeiramente matemática quando aprende a multiplicar, quando aprende a dividir e só se consegue ganhar quando se aprende a perder, e só consegue receber quando aprende a dar.

Caros professores com tudo o que fazemos … é estranho …. mas é raro um de nós aparecer na comunicação social … mas, acreditem que temos o poder de causar uma  revolução social, pois, com uma das mãos escrevemos no quadro, com as duas no teclado do computador, com ambas e com o que dizemos e fazemos podemos mover o mundo.

O trabalho dos professores é tão importante são eles que educam e colaboram com as famílias desde o ensino pré-escolar ao universitário. O futuro da humanidade depende da educação. Os jovens de hoje serão os políticos, os empresários, os operários, … os professores de amanhã.

Os professores são os profissionais que lavram os solos da inteligência dos alunos. Mas acreditem … não é com monólogos na sala de aula que despertamos os alunos do seu sono … não é com enfileiramento dos alunos que os mantemos bons ouvintes e caladinhos. Creio que se esse for o nosso método … mais de 95% da informação que transmitimos aos alunos será rapidamente esquecida, não sendo por isso utilizada.

Acreditem que a sala de aula não é um exército de pessoas caladas nem um teatro onde o professor é o único actor, e os alunos, espectadores passivos. Todos são actores da educação. A educação e o ensino deve ser participado.

Acredito que deveremos dar primazia à qualidade da informação, ao rigor dos dados fornecidos, no entanto, não poderemos esquecer que deveremos incentivar os alunos para desenvolver raciocínios esquemáticos, debates de ideias, por isso, uma boa parte do tempo deverá ser gasto com os alunos a dar aulas, a apresentar os seus trabalhos.

É neste contexto, que estamos a equipar a nossa escola com novos materiais que nos podem facilitar o processo de ensino e de aprendizagem dos alunos. Estes são recursos que alguns aqui presentes já dominam, enquanto para outros, não passam de objectos estranhos e de pouco uso. É por isso, que nós apostamos na inovação e na formação para que a qualidade do nosso trabalho traga um valor acrescentado para o conhecimento dos nossos alunos.  

Caros professores, os computadores podem informar os alunos, mas não esqueçamos que apenas os professores são capazes de formar alunos. Apenas os professores podem e devem estimular a criatividade, a superação de conflitos, o encanto pelas matérias, pela existência, a educação para a paz, para o consumo e para o exercício dos direitos humanos.

Professores… a sala de aula deverá ser um palco de teatro onde professores e alunos são construtores do conhecimento.

Não tenhais medo de incentivar as nossas crianças e adolescentes a debater ideias e opiniões. Todos sabemos que isso provoca tumultos no ambiente de sala de aula, todos sabemos que muitas vezes as respostas que dão são consideradas erradas e superficiais. Achamos que primeiro os alunos têm de possuir uma vasta bagagem cultural e uma imensidão de informação para posteriormente aprenderem a expressar-se.

De facto, parece-me um erro crasso! Depois de produzirmos zonas de conflitos que bloqueiam os códigos da sua inteligência, queremos que eles falem, que respeitem os seus pares, que assumam os seus compromissos.

As nossas excelentes intenções por vezes levam-nos a cometer erros educacionais. Assim, digo-vos não tenhais medo de inovar, não tenhais medo de expressar as vossas ideias, não tenhais medo de olhar nos olhos dos vossos alunos, em especial dos tímidos, daqueles que falam pouco, mas pensam muito… eduquem olhando nos olhos, eduquem com gestos, pois os gestos dizem tanto ou mais que as palavras.

Não tenhais medo de sentar os vossos alunos em forma de U ou em círculo, pois melhora a concentração, aquieta o pensamento e diminui a ansiedade dos alunos e contribuindo significativamente para a interacção social.

Caros professores, vocês não precisarão de sonhos para ter eloquência, metodologia, conhecimento lógico. Nem precisarão de sonhos para gritar com os alunos, implorar silêncio na sala de aula, dizer-lhes que não terão futuro se não estudarem … mas precisarão de sonhos para transformar a sala de aula num ambiente agradável e atraente, que eduque a emoção dos alunos, que os tire da condição de espectadores passivos e se tornem verdadeiros actores do teatro da educação e do conhecimento.

Professores, nós precisaremos de sonhos para esculpir nos nossos alunos a arte de pensar antes de reagir, a cidadania, a solidariedade, para que aprendam a ser poetas da vida e acreditem que a educação e o conhecimento poderá ser uma forma excelente de mudar o ruma das suas vidas.

Assim, um professor não culpa os outros dos seus erros mas ajuda-o a mudar…

Por isso, precisaremos de sonhos para termos a convicção de que nós somos os artesãos da personalidade e sem nós, professores, a nossa espécie não tem esperança.

Desta forma, o professor não apenas dá com mestria as suas aulas, mas conquista o território da emoção dos seus alunos, conta-lhes histórias, as aventuras dos cientistas para chegar ao conhecimento, inspira-lhes a inteligência e prepara-os para a sensibilidade estética, para a história, para as línguas, para a matemática, para os valores e para a vida.

É assim que o professor provoca a inteligência dos seus alunos, é assim que cada um de nós desafia cada um dos alunos… é assim que cada um dos professores aqui presentes suscita nos alunos muitas duvidas para que o este procure respostas. Quanto mais cada um de nós for capaz de instigar a mente dos alunos e provocar-lhes duvidas… mais os alunos expandem o mundo das ideias e do conhecimento.

O que adianta aprender a equacionar problemas de matemática se os nossos jovens não aprendem a resolver os problemas da vida? De que adianta aprender línguas se não souberem falar de si mesmos?

Por isso, as palavras porquê?, como?, Onde?, Qual o fundamento?, devem fazer parte da rotina da nossa sala de aula. A exposição interrogada estimula a inteligência e transforma a informação em conhecimento e o conhecimento, em experiência.

Peço-vos que encontrem espaço para humanizar o conhecimento, humanizar a história e estimular a arte da dúvida e os vossos alunos darão um salto intelectual. Aprenderão a fazer escolhas e a concretizar as suas metas com dignidade e respeito.

Por isso, precisamos de qualificar os nossos filhos e alunos para que eles se sintam importantes na escola. Eles precisam de participar no dia-a-dia da escola, devem mesmo participar em certas decisões.

Assim, certamente faremos desta escola a escola dos nossos sonhos.

Qual é a escola dos meus sonhos? Para mim, é a escola que ensina e educa os jovens com respeito, profissionalismo e dignidade. A escola dos meus sonhos une a seriedade à alegria, a força da lógica à força do amor. Na escola dos meus sonhos cada criança, cada jovem é uma jóia única e irrepetível no teatro da existência, mais importante que todo o dinheiro do mundo. Nela, os professores e os alunos escrevem uma bela história e são os jardineiros que fazem da sala de aula um canteiro de sonhos.

Para concluir, pois já me alonguei e, certamente em muito, pois muitas são as vezes em que me alargo nas palavras … mas paciência … para a próxima peço a um colega que me escreva umas palavras … mas poucas … só para concluir … quero dizer-vos que a família dos meus sonhos não é  perfeita… não tem pais infalíveis, nem filhos que não causam frustrações. …. A família dos meus sonhos é aquela em que os pais e os filhos têm a coragem de dizer uns aos outros: “Eu amo-te”, - “Eu exagerei”, “Desculpem-me” dizer-vos isto, mas TODOS VOCÊS SÃO IMPORTANTES para concretizar este belo sonho de escola e por isso, não poderia deixar de vos contar convosco.

A família e a escola dos meus sonhos é um lugar simples, mas onde há gente feliz.

Obrigado por nos ajudarem a transformar este agrupamento de escolas de Colos, aqui neste Alentejo profundo, bem perto do Litoral, no entanto tão distante, aqui, nestas terras, habita gente simples, mas com esperança e acreditam que uma parte da mudança está no trabalho que se faz dentro da escola … obrigado por nos levarem a descobrir que os indivíduos frágeis usam a força e os indivíduos fortes, a inteligência, e, principalmente, obrigado por colaborarem connosco nesta tão nobre missão que é educar … obrigado por nos ensinarem a apaixonarmo-nos pela vida e pela humanidade.

"Perguntaram-me qual a felicidade suprema aqui em baixo?

Ouvir a canção de uma menina que se afasta…

Depois de nos ter perguntado o caminho.

Assalta-me uma dúvida: Teria sabido indicar-lho?

Sentir-me-ia feliz se essa menina ou esse menino, antes de desaparecer na curva do caminho, se voltasse para mim e me dissesse adeus, sorrindo…."

 

António Carlos Correia Caetano

Questionário

Avaliação do site - de 1 a 5. 1- Estéctica do site? 2 - Qual a apreciação global do site?

5 (57)
84%

4 (11)
16%

Total de votos: 68

Página inicial

Esta lista está vazia.

Tags

A lista de tags está vazia.

Notícias

Esta seção está vazia.